Gaivota

Notícias

Voltar

Benefícios físicos da corrida de rua

A Corrida de Rua é um dos esportes que mais crescem no Brasil e no mundo, é um fenômeno cada vez mais consolidado. Levantamento feito pela Federação Paulista de Atletismo (FPA) mostrou crescimento em várias áreas na temporada passada. Foram realizadas 374 provas no Estado de São Paulo em 2010, contra 301 no ano anterior, crescimento de 24,3%, o maior dos últimos quatro anos.

Do total de 374 provas identificadas, a FPA oficializou e regulamentou 287 (76,74%), sendo que 87 corridas (23,26%) foram irregulares por não cumprirem todas as recomendações da entidade. Participaram dos eventos oficiais 416.210 corredores, totalizando evolução de 3,67% em relação a 2009.

A Prática da corrida é muito prazerosa e propicia um enorme bem estar, premia o seu praticante de inúmeros benefícios. Porém, correr sem conhecimento e sem tomar os devidos cuidados pode trazer riscos à saúde e até lesões físicas.

Controla doenças

Diabetes, hipertensão, asma e colesterol alto são apenas algumas doenças que podem ser mantidas a rédeas curtas com ajuda da corrida. Tudo isso acontece graças ao condicionamento físico que a atividade proporciona. Sendo uma atividade aeróbica, a corrida de longa duração e baixa intensidade condiciona o coração. Segundo o médico do esporte Ricardo Munir Nahaf, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), depois de algum tempo de prática, seu organismo passa a economizar energia para realizar algumas tarefas. Essa economia gerada pelo condicionamento físico é que impede que ele se sobrecarregue, facilitando o controle de pressão, colesterol e peso.

Nocauteia o diabetes

Já falamos dele, mas vale enfatizar que a prática da corrida por diabéticos pode, em alguns casos, dispensar o uso do remédio de controle da doença. A já conhecida síndrome metabólica – síndrome que agrupa problemas de saúde como pressão alta; aumento nos níveis de triglicérides, glicemia e mau colesterol (LDL) e diminuição do bom colesterol (HDL) – está diretamente ligada ao sedentarismo e à gordura corporal, em especial a visceral. “Quando você faz essa atividade, você consegue metabolizar tudo isso”, afirma o médico do esporte Ricardo Munir Nahaf. Ele conta que, com a corrida, o remédio se torna mais efetivo e, em alguns casos, principalmente de diabetes tipo 2, pode até ser dispensado.

A Corrida é classificada como uma atividade aeróbia (pois se utiliza o sistema aeróbio de produção de energia), que pode trazer vários benefícios a nossa saúde.

O sistema aeróbio significa com oxigênio. Se uma determinada atividade física não é muito intensa, o sistema cardiovascular é capaz de fornecer oxigênio suficiente para produzir a energia necessária para este trabalho muscular. Durante atividades físicas onde predomina o metabolismo aeróbio (atividade aeróbia), podemos conversar sem maiores dificuldades e a freqüência cardíaca não se eleva demasiadamente, não ultrapassando cerca de 85% do máximo individual.

Uma melhoria nessa capacidade de transporte de oxigênio é uma conseqüência da atividade aeróbia. Com o oxigênio sendo mais bem transportado, o coração diminuirá sua freqüência cardíaca no repouso, pois não precisará fazer tanto esforço para bombear o sangue que tem como um dos objetivos o transporte de oxigênio para as células.

Visto isso, ocorrerá uma melhoria no sistema cardiorrespiratório e cardiovascular, e fará com que a pessoa tenha uma melhor aptidão física, e que progrida da caminhada para a corrida.

Todavia, além de uma adaptação do sistema cardiorrespiratório e cardiovascular, acontecem outras adaptações no nosso organismo, como no sistema músculo – articular, conforme mostra a Tabela abaixo:

Tabela 5. Adaptações fisiológicas do sistema músculo – articular em atividades aeróbias
  • Aumento do número de Fibras do tipo II (vermelha);
  • Aumento do número de mitocôndrias;
  • Aumento do número de mioglobina;
  • Aumento do estoque de Glicogênio;
  • Aumento de gotas lipídicas;
  • Aumento do número de enzimas da Beta Oxidação;
  • Aumento do numero de enzimas glicolíticas no Ciclo de Krebs e Cadeia Respiratória.

Fonte: POWERS, S.K.; HOWLEY,E.T. (2006). Fisiologia do Exercício: Teoria e Aplicação ao Condicionamento e ao Desempenho.

Resumindo o condicionamento físico através da corrida de rua deve ser estimulado para todos, pessoas saudáveis e com múltiplos fatores de risco, desde que sejam capazes de participar de um programa de treinamento físico. Assim como a terapêutica clínica cuida de manter a função dos órgãos, a atividade física promove adaptações fisiológicas favoráveis, resultando em um melhora na qualidade de vida.

Além da melhora da aptidão física, a atividade aeróbia, principalmente as atividades de baixa a moderada intensidade, reduzem os riscos de doenças coronárias e as taxas de LDL – lipoproteína de baixa intensidade responsável pelo transporte de colesterol plasmático – níveis elevados são indicadores de um alto risco de coronariopatia, principalmente em pessoas fumantes, hipertensas e sedentárias.

Referências

Disponível em>://www.efdeportes.com/efd132/prevencao-de-lesoes-e-beneficios-da-pratica-de-corrida.htm
Disponível em>http://www.corpore.org.br/cws_exibeconteudogeral_4812.asp
E.G. Ciolac & G. V. Guimarães. Exercício Físico e Síndrome Metabólica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Vol.10 Nº 4, Jul/Ago, 2004.

 

Facebook Twitter